Notícias da Web

COLUNA DE ABRIL

Novo cenário

O Litoral Norte esta vivendo um novo momento com a chegada de empresas como Schin Igarassu (antiga Nobel), Ambev, supermercado Atacadão, Itaipava, além das que irão se instalar como a P & G e mais 40 sistemistas da Fiat. Essas empresas nos garantem que emprego não será problema para os trabalhadores da região.

O nosso problema agora é outro. Qualificação profissional, moradia, mobilidade e segurança. O que está acontecendo conosco, Ipojuca e Cabo já passou. Por isso, não devemos cometer os mesmo erros. O gestor que não estiver antenado com esses quatro quesitos, está fadado a ver apenas o cavalo passar selado.

É imprescindível estabelecer ações hoje, mas com resultados para daqui há 5 ou 10 anos. Aquela fase de doação de terrenos e isenção de impostos ficou pra trás, não cola mais.  Bairros planejados e saneados, onde os operários e funcionários possam morar e trabalhar com segurança é o mínimo que estas empresas esperam encontrar nas cidades em que irão se instalar, sem deixar de esquecer a mobilidade, que pode inviabilizar qualquer negociação.

Agora, é necessário o envolvimento de todos: prefeitos, população, entidades e a sociedade civil organizada para definir ações que promovam o desenvolvimento da região de forma ordenada e planejada. Senão, corremos o risco de assistir de camarote, pessoas de outras cidades levarem nossas vagas, restando para nós, apenas o crescimento desordenado e a violência. 

 

Boa Causa

A coluna estende o tapete vermelho para atriz americana Sharon Stone. Ela passou rápido por São Paulo, onde apresentou leilão em prol do combate à AIDS. Simpática, a bela encantou a plateia. “Eu até mostraria a calcinha, se isso servisse para trazer mais dinheiro. Mas vocês sabem que eu não uso calcinha”, numa clara alusão ao filme estrelado por ela, Instinto Selvagem. Com esse charme Sharon encerrou a noite com 6 milhões de reais arrecadados.

 

Boa escolha

O prefeito Mário Ricardo acertou na mosca na escolha dos novos secretários: Josias Gomes da Silva, Comércio e Serviços, Jorge Barrêtto, Patrimônio Histórico e Fernando Melo, Museu Histórico. Melhor impossível.


COLUNAS


OPINIÃO