Notícias da Web

NOSSO PLANETA - Genilse Gonçalves

Tráfico de pessoas e a dignidade humana

 

A palavra tráfico quer dizer atividade ou negócio ilícito ou ilegal, então pelo significado  já não deveria se referir a pessoa humana, porém  segundo dados  da ONU, o tráfico de pessoas movimenta anualmente 32 bilhões de dólares em todo o mundo. Desse valor, 85% provêm da exploração sexual. A ONU também divulgou que, o tráfico de crianças e a venda de órgãos são os negócios mais lucrativos, porém há também registros de trabalho escravo. Atualmente cerca 2,5 milhões e meio de pessoas são vítimas de tráfico humano. No Brasil, o trabalho análogo à escravidão concentra-se, sobretudo nas indústrias madeireira, carvoeira, de mineração, de construção civil e nas lavouras de algodão e soja. 

A Campanha da Fraternidade 2014 tem como tema: “Fraternidade e Tráfico Humano”, cujo lema será: “É para a liberdade que Cristo nos libertou”. Sendo um apelo para que cada cidadão reflita, discuta, denuncie. É importante alertar e ficar atentos, ao verificar que existem indícios de tráfico humano, dê as seguintes orientações:

 

1) Duvide sempre de propostas de emprego fácil e lucrativo.

 

2) Sugira que a pessoa, antes de aceitar a proposta de emprego, leia atentamente o contrato de trabalho, busque informações sobre a empresa contratante, procure auxílio da área jurídica especializada.

 

3) Evite tirar cópias dos documentos pessoais e deixá-las em mãos de parentes ou amigos.

 

4) Deixe endereço, telefone e/ou localização da cidade para onde está viajando.

 

5) Informe para a pessoa que está seguindo viagem endereços e contatos de consulados, ONGs e autoridades da região.

 

6) Oriente para que a pessoa que vai viajar nunca deixe de se comunicar com familiares e amigos.

A atenção deve ser redobrada em caso de propostas que incluam deslocamentos, viagens nacionais e internacionais.

 

O tráfico de pessoas e sem dúvida a face mais cruel da tragédia humana da busca desenfreada pelo lucro e pelo enriquecimento, mais é possível combatê-lo, em primeiro lugar estando sempre indignado com esta prática abominável e em segundo lugar denunciando sua prática ou suspeita à secretaria nacional de direito humanos através do Disque 100 ou 180, o sigilo é garantido ao denunciante.


COLUNAS


OPINIÃO