Notícias da Web

Sérgio Moro e a vulnerabilidade das redes sociais

 

Junho de 2019

 

As recentes revelações sobre conversas entre o ex-juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, concernentes à Operação Lava Jato, divulgadas pelo site Intercept, mostram quão vulneráveis estão os usuários de aparelhos de celular. As supostas trocas de mensagens estão dominando o noticiário, revelando, por enquanto, apenas conversas sobre a referida operação, que condenou mais de uma centena de pessoas, entre políticos, empresários e servidores públicos. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o condenado mais conhecido.

As informações divulgadas pelo Intercept foram obtidas por um racker (criminoso que invade sistemas eletrônicos), o que é ilegal, mas acabam provocando grande polêmica, mesmo que sua veracidade seja contestada. Advogados do ex-presidente Lula entraram com pedido de anulação da sentença que o condenou, por suspeição e acusação de parcialidade do então juiz Sérgio Moro. Deputados e senadores petistas pediram a demissão de Moro. Mas supostas provas obtidas por meio ilícito não são levadas em conta pela Justiça.

O fato mostra que não há segurança total para quem usa celular, principalmente para os usuários de redes sociais. Podem ser interceptadas não só conversas ou ligações telefônicas, como também senhas bancárias.

Diante de tudo isso, qual a solução para não ter sua privacidade invadida um dia? Simplesmente não escreva ou fale nada que possa lhe comprometer no futuro, principalmente se você é uma pessoa pública ou pretende ser.  


COLUNAS


OPINIÃO