Notícias da Web

Número de homicídios em Pernambuco cai 30,74% em abril

 

 

 

Os números mensais de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) em Pernambuco caíram pela terceira vez consecutiva, em abril deste ano, e atingiram o menor patamar dos últimos 21 meses – atrás apenas de julho de 2016. Ao todo, ocorreram 356 homicídios no mês passado, mantendo a curva descendente iniciada em janeiro de 2018. A diminuição foi de 30,74%, em comparação a abril de 2017 (514 CVLIs). Considerando o 1º quadrimestre deste ano, em análise com o mesmo período do ano anterior, a retração foi de 21,98%: 1.590 em 2018, contra 2.038 no período similar do ano passado. A diferença foi de 448 para menos.

Todas as macrorregiões de Pernambuco apresentaram números de CVLI menores, tanto em abril quanto no primeiro quadrimestre de 2018, em relação aos mesmos períodos de 2017. Considerando apenas abril, em análise com o mesmo mês do ano passado, o Agreste reduziu as mortes em 29,8% (de 131 para 92); a RMR caiu 27,3% (de 139 para 101), a Zona da Mata retraiu 43,9% (de 114 para 64) e o Sertão teve a diminuição mais tímida, de 8,62% (58 para 53). O Recife, por sua vez, atingiu o decréscimo de 36,1% (72 para 46).

Dos 184 municípios pernambucanos, 90 não notificaram nenhum CVLI em abril de 2018, e 75 alcançaram reduções nesse tipo de crime (que engloba homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte), quando comparadas ao mesmo mês do ano anterior. Em 16 cidades, os números não se alteraram em relação a abril de 2017.

“As estatísticas demonstram que o planejamento e a execução de ações de segurança pública, com investimentos importantes na contratação de policiais, viaturas, equipamentos e mapeamento das manchas criminais, estão alcançando resultados importantes, com consistência”, afirma o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Antônio de Pádua.

A maior parte dos homicídios praticados em abril de 2018 tem relação com o tráfico de entorpecentes, acertos de contas e outras atividades criminais. Das 356 vítimas, 73,31% foram assassinadas devido a essas motivações. Os conflitos na comunidade responderam por 49 mortes ou 13,76% dos CVLIs; 2,53% (9 casos) foram conflitos na comunidade, afetivos ou familiares (exceto feminicídio); 3,65% (13) resultaram de latrocínio e 0,28% (1) teve feminicídio como definição. Um levantamento preliminar do histórico das 356 vítimas mostra que 137 delas, parcela correspondente a 38,48%, já haviam sido submetidas ao sistema de justiça criminal.

 


COLUNAS


OPINIÃO