Notícias da Web

Voto evangélico pode ser decisivo na próxima eleição

 

 

O voto dos evangélicos, responsáveis por mais de um terço do eleitorado, pode fazer a diferença na eleição do próximo ano. De acordo com pesquisa do Datafolha divulgada no último dia 23, dos três principais candidatos a presidente, Jair Bolsonaro (PSC) e Marina Silva (Rede) são os mais beneficiados com o voto dos crentes, enquanto Lula seria o mais prejudicado.

De acordo com o levantamento, Lula tem 36% na preferência do eleitor, mas no eleitorado evangélico o percentual cai para 32%. Entre os católicos seu percentual é maior, 40%. Jair Bolsonaro possui 16% no geral. Entre os evangélicos seu percentual cresce para 21% (13% entre os católicos). Marina Silva tem 14% no geral, 17% no meio evangélico e 12% entre os católicos.

REJEIÇÃO

Lula é o mais rejeitado entre os candidatos. Quarenta e dois por cento do eleitorado afirmam que não votarão nele na próxima eleição. Entre os evangélicos esse percentual sobe para 46% e desce para 39% nos católicos. Jair Bolsonaro é rejeitado por 33% no geral (27% entre os evangélicos e 34% entre os católicos). Marina tem rejeição de 26% (21% nos evangélicos e 29% nos católicos).

A pesquisa do Datafolha foi realizada de 27 a 28 de setembro, com 2.772 entrevistados em 194 cidades. A margem de erro é de 2% para mais ou para menos.


COLUNAS


OPINIÃO