Notícias da Web

Entrevista com o prefeito de Igarassu Mário Ricardo


“Nossa vitória é o reconhecimento do trabalho realizado no município”

 

Após ser reeleito prefeito de Igaras­su com 38.708 vo­tos (61,37%), Mário Ricardo (PTB) considera que a cida­de vai iniciar um novo ciclo. “Nós colocamos os pilares em áreas importantes, como saúde, educação e desenvol­vimento econômico”, afir­mou ele nesta entrevista ex­clusiva concedida ao Jornal do grande Recife.

 

Como o senhor avalia o pleito eleitoral em Igarassu?

 

Nossa vitória é o reconhecimento de um trabalho realizado. Nossa expressiva votação é uma demonstração de que se o gestor trabalhar, ouvir o povo, o eleitor corresponde nas urnas. O povo entendeu até as dificuldades que passamos. Muita gente não acreditava que ganharíamos a eleição, pois enfrentamos um adversário que já governou a cidade por dois mandatos, que contou com o apoio do governador, do presidente da Assembleia Legislativa, de dois ex-prefeitos, mas o povo decidiu que resolvêssemos continuar o trabalho iniciado há quatro anos.

 

O que o povo de Igarassu deve esperar do prefeito Mário Ricardo no segundo mandato?

 

O povo deve esperar a mesma dedicação e muito trabalho. Neste mandato nós fincamos vários pilares, na saúde, na educação, no desenvolvimento econômico, com a implantação do Distrito Industrial. No novo período, vamos consolidar tudo isso, colocando Igarassu no rumo do desenvolvimento do comércio. Vamos também investir na restruturação do turismo, criando as condições para mostrar Igarassu bem ao visitante. Vamos continuar fazendo as obras de infraestrutura que Igarassu precisa. Estivemos recentemente em Brasília, onde conseguimos mais de R$ 6 milhões em emendas parlamentares para investir na infraestrutura do município.

 

O que a repatriação de recursos representou para o município de Igarassu?

 

Na verdade, essa repatriação é uma reposição dos recursos que deixaram de vir. Porque as transferências do Governo Federal que vieram nesse ano foram insuficientes para cobrir as despesas que temos normalmente. Toda vez que acontece uma crise econômica, diminui a arrecadação de impostos, comprometendo as receitas dos municípios. Então, esse dinheiro foi muito bem vindo, pois pudemos pagar a folha de pessoal em dia. O 13º salário, por exemplo, foi pago no dia 14.

 

A PEC 55, que foi aprovada no Congresso Nacional, vai limitar os gastos públicos, atingindo diretamente a União, os estados e os municípios. Como o senhor avalia essa medida?

 

O Governo Federal precisa dessa PEC para criar uma estabilidade econômica. O governo gasta exageradamente, sem limite, comprometendo o país. Vamos ter que nos adequar a essa nova situação. Ao diminuir despesas desnecessárias em alguns setores, vai haver recursos para outras áreas prioritárias, como a saúde e a educação. É uma medida dura, mas necessária.

 

Como o senhor deve lidar com toda essa crise que estamos atravessando?

 

Igarassu tem uma importância na região. Importância não só histórica, mas econômica. Vamos retomar os consórcios com outros municípios do Litoral Norte, ajudando a diminuir custos.  Começamos esse consórcio com Igarassu, Abreu e Lima e Itapissuma. Agora Olinda e Paulista desejam entrar.  Vamos consolidar essa aproximação com nossos vizinhos. Muitos problemas são comuns a todos os municípios. Essa união vai nos dar força para buscar melhorias para as nossas cidades.

 

E as obras que estão em andamento, quando serão concluídas?

 

 

Vamos dar continuidade a essas obras. Temos a arquibancada do Estádio Municipal, a praça da Bíblia, na Vila Maria Gayão, a Biblioteca do Sesi, na Rubina, a UBS da Rubina, a reforma do cais de Nova Cruz I, Praça de Taepe, todas obras que já foram iniciadas e que serão concluídas nos próximos seis meses da nova gestão.


COLUNAS


OPINIÃO