Notícias da Web

Coluna de junho

Copa do Mundo: um evento sustentável?

 

Um evento como a copa do mundo é muito esperado por todos, tanto pelos entusiastas torcedores, como pra os comerciantes, e empresários, sem falar nos governantes que vai ficar na história como uma grande realização da gestão em questão. No entanto os impactos gerados nem sempre são positivos. É verdade que a verba destinada pra a realização dos estádios, é de rubrica própria, não podendo ser usada pra outra obra, porém se espera que com o mesmo empenho que se constrói um estádio, construa-se também hospitais, escolas, postos de saúde, mas lamentavelmente não é o que vemos. Há fila em todos os serviços públicos desde a marcação de uma consulta, a uma cirurgia de emergência. Mas é claro que os idealizadores do evento coloca na frente a injeção econômica que o país está recebendo. Economia essa que não chega impactar na vida do cidadão comum, a não ser o fato de ver o país unido pelo menos em parte vestido de verde amarelo para torcer pela seleção brasileira. Contudo os grandes ganhadores são os jogadores de futebol, seus clubes empresários e as grandes marcas, sobretudo as de materiais esportivos, que tudo associam a copa do mundo pra vender mais. É mesmo esse tipo de economia que precisamos? É esse consumo que vai equilibrar nossas finanças e aumentar a autoestima dos brasileiros? Ganhar ou perder a copa vai acabar com a inflação, reduzir os níveis de pobreza, acabar com a violência, proteger nossas crianças orientar nossos jovens? É preciso uma reflexão e uma tomada de decisão profunda baseada em pilares que sustentam a sociedade, como dignidade, trabalho honesto, respeito e amor ao próximo. A copa pode ser um meio de o brasileiro se unir e tomar como exemplo para outras ações no exercício de uma sociedade mais justa e igualmente sustentável, bom pra se viver.

 

Dica: Nas festas juninas e nos jogos da Copa vamos colocar os resíduos nos devidos coletores e deixar nossas cidades limpas, afinal temos visitantes no país - nossa casa, mas também nós merecemos viver numa acidade limpa.


COLUNAS


OPINIÃO